Ibipitanga Alerta: Bruno foge do caso Eliza e agradece ao Boa na chegada

IBIPITANGA ALERTA

IBIPITANGA ALERTA

terça-feira, 14 de março de 2017

Bruno foge do caso Eliza e agradece ao Boa na chegada

Bruno foge do caso Eliza e agradece ao Boa na chegada

Bruno Apresentação Boa Esporte (Foto: Nelson Antoine / Estadão conteúdo  )

Bruno Fernandes chegou em Varginha, Minas Gerais, no começo da manhã desta terça-feira para se apresentar ao Boa Esporte. O goleiro de 32 anos era esperado na cidade mineira na segunda, mas devido a um atraso na viagem, preferiu dormir na estrada. Condenado a 22 anos e três meses pela morte de Eliza Samudio, Bruno deixou a prisão na semana passada e aguarda em liberdade enquanto o recurso contra sua condenação não é julgado em segunda instância.
O goleiro chegou para a apresentação já vestido com a camisa de seu novo clube. Pouco antes da entrevista, o presidente do Boa Esporte, Rone Moraes da Costa, informou que encerraria a coletiva, caso fosse feita alguma pergunta cujo assunto não fosse futebol - o clube perdeu todos seus patrocinadores desde o anúncio da contratação do goleiro. E logo a primeira pergunta gerou mal-estar no goleiro. Questionado por que "se achava digno voltar a vestir a camisa de um clube", Bruno rebateu:
- Eu não vou te responder - disse.

Goleiro Bruno é apresentado pelo Boa Esporte (Foto: Bruno Giufrida)

Logo depois, se sentiu mais à vontade para responder à pergunta seguinte:
- Estou muito feliz pela oportunidade dada. Eu venho me preparando há alguns anos. As pessoas correm de mim pelo o que aconteceu no passado. O Boa está abrindo as portas. Estou muito feliz, motivado. Agradeço a vocês por estar aqui. Deus está abrindo as portas para a gente. Tenho certeza que é Deus - disse o goleiro revelado pelo Atlético-MG e que brilhou com a camisa do Flamengo.

No decorrer da entrevista, a assessoria do Boa Esporte barrou algumas perguntas. "Isso foge da pauta", argumentava o clube (veja mais abaixo). Quando o assunto não incomodava, Bruno respondia. Ele fez questão de revelar o apoio incondicional da esposa, apesar do crime cometido.
- Passaram várias coisas na minha cabeça, várias vezes achei que não dava mais. Mas não posso simplesmente jogar a toalha, porque pessoas, como minha esposa, foram pessoas que não aceitaram de forma alguma que eu me entregasse, que eu encerrasse minha carreira. Eu não poderia encerrar minha carreira onde estava. Minha esposa foi quem mais me motivou, mais me incentivou e mais me colocou para cima. Agradeço a Deus pela oportunidade dada e à minha esposa por ter tanta paciência comigo - afirmou.
Questionado sobre como lida com a possibilidade de ter de voltar à prisão, já que ainda não cumpriu sua pena na íntegra e foi solto pois seu recurso ainda não foi julgado em segunda instância, Bruno disse:
- Ninguém fecha portas abertas por Deus.
Fonte: Globo Esporte

GOVERNO DA BAHIA

GOVERNO DA BAHIA